quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

10 hábitos meus


1 - Cantar para o meu filho adormecer
Quando o meu filho era bebé, era difícil para dormir. Dormia horas seguidas, mas até adormecer... era um problema. Não chorava, era sossegadinho, simplesmente não queria dormir. Então comecei a cantar para o embalar. Ele tem 9 anos e ainda me pede para cantar para ele à noite, pelo que é um hábito que se mantém.

2 - Fazer listas
Uso este método para me orientar em tudo. Aniversários, compras para a casa, compras de natal, coisas que tenho a fazer (como marcar consultas ou comprar material escolar para o miúdo), livros que quero comprar, filmes e séries que quero ver, estreias de cinema que me interessam...

3 - Tirar fotografias
Desde que os meus pais me deram a minha primeira máquina fotográfica, há anos, que ganhei este hábito. Até a levava para a escola, o que me levou a ficar com imensas memórias de colegas de escola. Gosto de registar tudo e tenho anos e anos de fotos (aniversários, saídas à noite, casamentos, simples passeios e saídas com amigos, festas, natais, carnavais...).

4 - Aspirar os móveis depois de limpar o pó
Talvez pareça maluquinha, mas a verdade é que tiro o pó dos móveis com um produto de limpeza e um pano e, no fim, ficam sempre com uns pêlos que me incomodam imenso, pelo que, depois de limpar, passo o aspirador com a peça mais pequenina na ponta, para remover todos esses vestígios! Sim, sou um bocadinho obcecada por ter tudo limpo.

5 - Dormir sem pijama
Adoro pijamas. Por mim, era isso que usava todos os dias em qualquer ocasião. São confortáveis, quentinhos de inverno e é o meu outfit de eleição. Mas, para mim, servem, sobretudo, para andar confortável em casa (nunca entendi pessoas que se vestem para ficar em casa). Nunca consegui dormir de pijama. Gosto de dormir com uma blusa fininha e roupa interior, apenas. Seja verão ou inverno e mesmo que tenha lençóis frios. Quando muito, leggings, que são justas e fininhas e, mesmo essas, geralmente, acabam por sair durante a noite.

6 - Organizar, organizar, organizar
Na escola, os meus livros e cadernos eram super limpinhos, organizados, com cores, tópicos e post-its. A minha mania das listas também me ajuda imenso a organizar-me; com tudo o que há a fazer, tiro notas e colo no frigorífico. O meu computador tem várias pastas, as fotos e vídeos organizadas cronologicamente e com subpastas para natal, carnaval, aniversário de X, aniversário de Y, passeio ao sítio tal no dia Z... percebem o que quero dizer? Nas músicas, também tudo separado por bandas/cantores.

7 - Ter pilhas de roupa para passar a ferro e adiar sempre
Sou uma freak com as limpezas e arrumações, mas... esta tarefa fica SEMPRE para último. Vou lavando roupa e acumulando... também acontece que tenho um quarto vazio, o que facilita imenso esta procrastinação, porque vou colocando lá a roupa toda. Nem vos vou dizer a quantidade de roupa que lá está... é vergonhoso. Shame on me.

8 - Usar lembretes no telemóvel para tudo
Com tudo o que há a fazer nesta vida, a cabeça não chega para tudo. O telemóvel é o meu melhor amigo aqui. Datas de consultas, ideias para o blog, chamadas importantes, prazos de pagamento, dar os parabéns a alguém, enfim. Serve para tudo e é uma ajuda do caraças.

9 - Fazer backups de tudo
Desde que perdi um telemóvel, comecei a anotar todos os contactos. Tenho uma agenda à moda antiga. Hoje em dia, fiamo-nos tanto nas tecnologias que nos esquecemos que, quando elas falham, ficamos sem nada. E eu, claro, precisei perder tudo para abrir a pestana. Também todas as minhas fotos e vídeos estão guardados numa cloud e em CD.

10 - Planear tudo
Não gosto de fazer as coisas em cima do joelho, portanto, faço planos. Faço uma lista (lá está...) de tudo o que vai ser preciso para concretizar aquele objectivo, aquela viagem, aquele evento. Quantos custos vou ter, que caminhos vou percorrer, quanto tempo vai demorar, o que é preciso comprar. É apenas mais um ponto desta lista que remete para a minha faceta obcecada com a organização!

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Em Modo Saudosista #16

Mikado

O meu filhote também gosta disto, apesar de lhe causar nervos, ahah! Também a mim causava. Lembro-me de jogar isto e ser um pincel para tirar os pauzinhos sem mexer os outros. Mas traz-me boas recordações da infância!

domingo, 14 de janeiro de 2018

Case 39


Sinopse: Emily Jenkins é uma dedicada assistente social que está diante do caso 39, referente à garota Lilith Sullivan. Os pais de Lilith tentam magoá-la, o que faz com que Emily intervenha. Encantada com a menina, Emily oferece-se para ficar com ela até que seja encontrada uma família adoptiva e consegue a guarda. Só que há um mistério por trás da garota, já que todos que os se aproximam dela aparentam enlouquecer.








Opinião: Não é muito surpreendente e segue a mesma linha de outros do mesmo género, mas gostei deste filme. Existem algumas falhas, como já li em críticas online, como o facto de Emily perder o telemóvel e só se dar conta dois dias depois, apesar de o aparelho ser imprescindível para o trabalho que desenvolve. Gostei da forma como começa, fazendo com que tenhamos aquele sentimento de empatia e pena para com a menina maltratada e o ódio aos pais abusivos, para depois desenvolver-se na direcção oposta, trazendo-nos, afinal, outro tipo de sentimentos por cada personagem. O ambiente da casa de Lily é perfeito: claustrofóbico, tenso, pesado... com a tranca na porta do quarto, a cave escura e todo o aspecto opressivo, não se parecendo com um lar familiar. Dito isto, não sendo um filme excepcional e imprevisível, não desilude.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Locais a conhecer #2

Espetados Restaurante


Este restaurante fica na Avenida João das Regras, em Coimbra e é um espectáculo. Tem uma avaliação muito positiva no TripAdvisor, mas eu não fazia ideia quando lá fui com o B. Fomos porque era perto do hotel e andávamos à procura de sítio para jantar. Acho que tem uma boa relação preço-qualidade e a comida é muito boa. Pelo menos, aquilo que nós provámos, que foi a posta grelhada para duas pessoas. Um naco de carne muito tenrinha e suculenta, que acabou de cozinhar na nossa mesa. Não bebo vinho, mas trouxemos de lá uma garrafa da casa que oferecemos aos meus pais e que eles nos disseram que era uma delícia. Além disso, é um espaço giro, com uma decoração original e com pessoal super simpático e disponível. Portanto, está recomendadíssimo, visitem!





segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Passeio em Coimbra

O nosso fim-de-semana romântico foi passado em Coimbra. Uma surpresa para o B., que só soube para onde íamos em cima da hora e foi porque eu não conduzo e tinha que lhe dizer para onde ir. Infelizmente, apanhámos muita chuva, por isso, não conseguimos passear tanto como gostaríamos, mas deu para descansar, namorar, ver sítios diferentes e comemorar a passagem de ano e o nosso sexto aniversário. Aproveitámos para almoçar com uns tios meus que vivem lá, comemos em bons restaurantes, ficámos num hotel bem localizado e com pequeno-almoço. Pequeno-almoço de hotel é das melhores coisas de sempre! Tinha leite quente e frio, sumos naturais, café, chocolate para o leite, dois tipos de cereais, pão de forma para torradas, carcaças, croissants, tomate, ovo mexido, bacon, manteiga, marmelada, doce, queijo, fiambre, salame, mortadela e chourição. E soube pela vida! Vimos o fogo-de-artifício na ponte de Santa Clara, assistimos ao concerto dos HMB no Largo da Portagem depois da 00h, bebemos uns copos e comemos uns crepes maravilhosos. Ainda conseguimos visitar a Quinta das Lágrimas, um objectivo alcançado, há anos que queria visitar aqueles jardins e não ia sair de Coimbra desta vez sem o fazer. Sempre tive um fraquinho pela história de D. Pedro e Inês de Castro e aqueles jardins são lindos. Soube a pouco, mas lá voltaremos!































domingo, 7 de janeiro de 2018

Parabéns, meu pequeno amor!


Parabéns, amor da minha vida! Ainda me custa a acreditar que ontem já fez 9 anos que nasceste. Há 9 anos, a tua mãozinha segurava assim na minha, ainda tão frágil, tão indefeso e pequenino. Que a vida te sorria sempre e que eu te possa proteger. Estarei sempre ao teu lado. Eu e este amor que não me cabe no peito.