segunda-feira, 22 de maio de 2017

O meu novo melhor amigo

Geralmente, não sou muito dada a apps, nem costumo andar em cima das últimas novidades, mas no blog jess&rose, descobri uma que me dá imenso jeito. Neste post, elas dão a conhecer várias aplicações úteis para viajantes. Não é o meu caso, mas entre as mencionadas, encontrei uma que estou a adorar! 


Sou, definitivamente, uma pessoa de listas. Faço listas para tudo e tomo notas de tudo. Desde lembrar-me de preparar lanches/almoço para uma visita de estudo do pequeno, a consultas médicas, exames, as provas de aferição do filhote, lançamento de coreografias novas na academia, estreias de cinema que nos interessam, listas das compras, enfim... tudo o que vocês possam imaginar, eu anoto. Esta aplicação abençoada permite-me fazer tudo isso e andar organizada, sem carregar caderninhos, agendas e papelinhos. Adoro e recomendo para quem tem esta pancadinha, como eu.

domingo, 21 de maio de 2017

Bye bye weekend


A sério, quem foi o idiota que inventou esta treta de trabalhar 5 dias e descansar 2? Todos os domingos tenho em mim esta raiva de antecipação por já estar a acabar o fim-de-semana. Como é que amanhã já é segunda-feira? Como se não bastasse ter que ir trabalhar, ainda tenho que acordar cedo. É o inferno na terra, digo-vos eu. Lá vou eu, às 7h30 da manhã, arrastar o meu mau-humor pré-trabalho para a paragem de autocarro e enfrentar mais uma semana infernal. Que ódio...

sábado, 20 de maio de 2017

Em Modo Saudosista #11

Colecção Ovo Kinder Hippos

Quem se lembra desta colecção amorosa da Kinder? Adquiri muitos, o que me faz pensar agora que, para isso, tive que comer muitos ovos, ahah! Acho que ainda tenho alguns destes hipopótamos foférrimos em casa dos meus pais.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sei lá, faz-me comichão

Não consigo acompanhar blogs com um sem fim de erros ortográficos ou gramaticais. Ocasionais, tudo bem, ninguém é perfeito, certo... tolero. Mas constantemente? Revela que a pessoa que está a escrever não sabe mesmo fazê-lo. E faz-me comichão à vista. É como ter muitas reticências e, principalmente, muitas exclamações. Parece que estão sempre aflitas e com pressa ou ansiedade para exprimir-se. Peço desculpa, mas não consigo. Até posso gostar do que estou a ler... e mais vezes do que gostaria acontece deparar-me com um blog cujo conteúdo até me interessa, mas que, depois, com todo aquele desassossego de exclamações e/ou pontapés na língua portuguesa, mata todo o interesse. É, simplesmente, desconfortável.

Climazinho d'um raio


Não aguento este tempo, que já mete nojo. Sou, assumidamente, fã do frio e inimiga número um do calor. Aquilo que não me agrada nada é esta bipolaridade climatérica. Sei que não sou a única e que já toda a gente se queixou, mas tinha que partilhar esta raiva, porque o vento, oh senhores, o vento... é daquelas coisas que me tira MESMO do sério. Odeio, odeio muito! Só vejo cabelos a esvoaçar, fico toda despenteada e parece que perco o sentido de orientação a caminhar, principalmente se for carregada com coisas na mão. Já chega, sim?

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Livros que recomendo #18


Sinopse: A história do Chile da década de 20 aos anos 70 é contada através da saga da família Trueba, que começa com a união de um homem simples, que fica rico, com uma jovem de poderes paranormais. A saga desenvolve-se até esta família ser atingida pela revolução, que no início da década de 70 derrubou o presidente Salvador Allende.

Opinião: Este livro tem tanto que se torna difícil descrever a sua beleza em comentários. Tantas personagens com personalidades diferentes, com histórias de vida que nos emocionam, um livro que cruza a realidade, o factual com personagens fictícias, com o fantasioso, o espiritual. O desenvolvimento de Esteban Trueba do início ao fim da sua vida é bastante interessante, toda a sua ideologia e a forma como termina. Percebemos, com o desenrolar dos acontecimentos, que nos está a descrever a História como ela aconteceu como se testemunhado de perto. É bom, é muito bom e não vou revelar muito mais para quem ainda não leu e pretende fazê-lo, mas por favor, façam-no! Foi o primeiro que li desta autora, que já há muito andava na lista, e não me desiludiu.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Sobre a Pipoca e o Arrumadinho

Quando comecei a dar mais atenção ao blog, comecei a explorar a blogosfera e a conhecer blogs, para determinar quais os que me interessavam. E dois dos que seguia eram os d'A Pipoca Mais Doce e d'O Arrumadinho. Com o tempo, deixei de seguir tanto um como outro. Ocasionalmente, dou uma espreitadela no da Pipoca, maioritariamente quando surge alguma polémica associada a ela na imprensa ou na blogosfera (porque sou uma grande cusca curiosa). A mais recente tem a ver com a reconciliação dos dois. Na altura que se começou a falar da separação, senti alguma curiosidade e fui espreitar. Dei com um post dela, muito sucinto, a assumir a separação. E fiquei por aí. Não senti necessidade de explorar o assunto, porque, apesar de serem conhecidos, são pessoas como todos nós e não vi porque deveria aprofundar a questão, já que não os conheço de facto e são assuntos que não me dizem respeito. Agora, todo este sururu sobre a possível reconciliação. E muito se especula. Não posso dizer que não tenho alguma curiosidade, mas não acho que seja, realmente, motivo para tanto aparato. E, sobretudo, acho que as pessoas se sentem demasiado no direito de querer justificações. Separaram-se porquê? Estão mesmo juntos outra vez? Porque não explicam aos leitores o que se passou? Porque é que mantêm segredo? Sinceramente, acho que a Pipoca e o Arrumadinho fazem lindamente em manter os assuntos da esfera privada aí mesmo e não expô-los como se de uma telenovela se tratasse para todo o mundo viver o casamento deles. Não interessa a ninguém, senão aos próprios e talvez às respectivas famílias, o que se passa. Não queiram saber demais, gente. Todos temos o direito à nossa privacidade e eles não são diferentes.